segunda-feira, 30 de abril de 2012

Seminário A ERA DO PANÓPTICO – Palestra Nildo Avelino | A ERA DO PANÓPTICO

Seminário A ERA DO PANÓPTICO – Palestra Nildo Avelino | A ERA DO PANÓPTICO:

'via Blog this'

We wish you a happy May Day and May! May Day 2012 - Manifesto and anarcho-syndicalist international direct action by the International Workers of the World!

Welcome to
THE INTERNATIONAL
Workers of the World
The anarchosyndicalist trade union, workers' confederation and section of the Anarchist International

May Day 2012 Manifesto

The fight against the unenlightened plutarchy and statism including ochlarchy, and for anarchy i.e. real democracy, continues world wide. It is more than five years since the financial crisis hit, followed rapidly by a larger economic crisis. The resulting shock added millions to the already teeming ranks of the jobless and threw millions more into precarious work. Many workers have lost good jobs and far too many have also lost the fundamental rights that went with them.

There is only one cause of the crisis: lack of proper demand management. Proper demand management is more easy done in anarchy than archy, look to Norway, but anarchy is not necessary for proper demand management. The main player in demand management is the central administration be it anarchist or archist. The most efficient demand management is Cogrips-policy, see the WEC resolutions. We call for Cogrips-policy world wide for proper demand management and the end of the economic crisis.


Welcome to the

Anarchist International Information Service
The official pages of The Anarchist International AI - The International of Anarchist Federations IAF - L'Internationale des Fédérations Anarchistes IFA
A libertarian lighthouse in a mostly Orwellian "1984" newspeaking, lying, world
De facto: ochlarchy (mob rule) and anarchy & ochlarchists and anarchists are opposites as war and peace
To say de facto ochlarchy is anarchy and ochlarchists are anarchists are lies equal to war is peace

And it has similar authoritarian, repressive, functions as Big Brother in "1984"
* Listen to: The pro anarchy and anti-ochlarchist anthem! Click here! *
We wish you a happy May!
Join the fight for anarchy - and more of it - world wide - NOW!
Participate in the struggle for anarchy, i.e. real democracy!
In addition to the general struggle for anarchy, on top of the agenda,1-2-3, equally important, is the fight for
1. social justice and security, 2. solution to the economic crisis & 3. solution to the global warming problem.

* Read: The anarchist principle of social justice and social security - Click here! *
* Read: The World Economic Council - WEC - Against economic crisis... - Click here! *

* Read: The Eco-Anarchist Manifesto - EAM - Against manmade global warming... - Click here! *
* Read: Brief course of anarchy and anarchism - to get started on www.anarchy.no - Ver. 1.8 - Click here! *
* Read: Basic course of anarchy and anarchism - to learn more than the brief course - Click here! *
* Read: The anarchists' 2012 report! Updated May! - Anarkistenes 2012 rapport! Oppdatert i mai - Click here! *
* Listen to: The FABS - The Federalist Anarchist Beat Society's new album: Anarchy in Norway - Now available at Amazon.com - Click here! *
* Read: May Day 2012 - Manifesto and anarcho-syndicalist international direct
action by the International Workers of the World - Click here! *

Click here! International Journal of Anarchism: Updated News and Comments - Click here!

Links / Search

Anarchy and anarchism mean "system and management without ruler(s), i.e. co-operation without repression, tyranny and slavery".
Anarchism is, a. o. t., based on dialog and free, matter of fact, criticism. Feel free to send us a comment
: Contact AIIS - Click here!

Special reports, latest updates: Click on: The Anarchist International's main policy for 2012; Click on: Stortingsvalget 2013 - Boikott Frp, SV og R - Stem på V og Sp ; Click on: Nei til Ola Borten Moe som ny Senterpartileder ;
Click on:
Veien framover: Hvordan Norge kan oppnå en høy grad av anarki ; Click on: Artikkelen "Akademiske anarkister - Anonyme anarkister" fra Universitas 26 (56) 2002 med kommentarer ;
Click on:
Congress on ochlarchy (mob rule) and ochlarchist infiltration in the anglophone anarchist movement - September 2003


In the mostly Orwellian "1984" newspeaking, lying, world, the following lies are also significant:
In USA, the world's largest economy, economical plutarchy, i.e. capitalism, is falsely called economic freedom!
In China, the country with most people in the world, a totalitarian oligarchy is falsely called the people's democracy!
And there are much more Orwellian "1984" newspeak type lies in the world - many of these lies are revealed and unmasked at www.anarchy.no!
Be enlightened and prepared for real democracy, i.e. anarchy, feel free to study all at www.anarchy.no!

The truth: the only Anarchies, i.e. anarchist countries in the world, are Norway, The Swiss Confederation and Iceland,
and they are only anarchies of rather low degree...

And, say, Somalia, as the newspeaking lie-machines CNN, BBC, Foxnews, Reuters, Associated Press, Wikipedia and most of Internet in general, etc.
falsely call 'anarchy' is in reality an ochlarchy with rivaling polyarchy, i.e. chaos - not anarchy, and the country most far from anarchy in the world!
In general, x-archy, where x can be anything but not 'an', is the opposite of freedom and real democracy.

www.anarchy.no has practically certain truths and likely truths, i.e. real scientific non-rejected hypothesis!
Most of so called social sciences and newsmedia represent false ideology, propaganda, manufactured consent, lies and more lies!


Thousands of anarchists world wide have contributed to the www.anarchy.no.
The www.anarchy.no is independent and autonomous, financed by anarchists and not by capitalist commercials or state-subsidies.
The www.anarchy.no has for the time being about 15 000 visitors and 50 000 hits per month.
The www.anarchy.no has been on Internet since July 1996.

NB! Feel free to spread the light from this lighthouse,
say, by mailing the link http://www.anarchy.no to your fellows, or write it on your Web or blog!

To use the search option, click on the link above!


Posted via email from franciscoripo

sexta-feira, 27 de abril de 2012

Europa: a guerra inacabada | Avelino | verve

“Eis uma nação, há um tempo reputada uma das mais
belicosas, hoje a mais industriosa, a mais potente em capitais, que reclama o desarmamento geral e se pronuncia em
toda ocasião contra a guerra. Mas que outra coisa faz, trocando armadura, se não atrair os seus rivais para um novo
combate, no qual se crê segura da vitória?”
Proudhon

Europa: a guerra inacabada | Avelino | verve:

'via Blog this'

quinta-feira, 26 de abril de 2012

Resumo: A partir da Conferência Internacional pela Defesa Social contra os Anarquistas de 1898, este artigo descreve o impasse judiciário do Direito Penal na definição do crime de anarquismo no fim do século XIX. Através desse impasse, a psiquiatria e a antropologia criminal irrompem no interior do Direito Penal exercendo influência decisiva na configuração da escola de Defesa Social responsável por conferir ao problema repressivo um novo ângulo.
Palavras-chaves: anarquismo, violência, crime, defesa social.
Le criminel fin-de-siècle - psiquiatrização da anarquia no século XIX

domingo, 29/04, as 18h no CCS: Exibição do filme "Tostoi; A Última Estação"

                                                Centro de Cultura Social e Biblioteca Terra Livre convidam:

Exibição do filme "Tostoi; A Última Estação"
Domingo, 29/04/12, as 18:00h.
Rua General Jardim, 253 sala 22

Tolstoi5faue

Posted via email from franciscoripo

quarta-feira, 25 de abril de 2012

Do Governo Dos Vivos - Foucault

Transcrição do curso ministrado por Foucault no Collège de France entre os anos de 1979 e 1980 (excertos). Entre outras questões, a obra aborda como foram constituídas as formas de obediência, como foi possível ao indivíduo moderno a relação estabelecida dele mesmo com práticas sistemáticas de renúncia da vontade, da liberdade e de si mesmo e do que procede, nas sociedades ocidentais, a prática da 'servidão voluntária'.
Do Governo Dos Vivos - Foucault:

'via Blog this'

'Compensação tem de ser feita antes', afirma professora

DE SÃO PAULO

Eunice Ribeiro Durham, professora aposentada de antropologia da USP e pesquisadora do Núcleo de Pesquisa de Políticas Públicas da universidade, é contrária a qualquer tipo de cotas.

Folha - A sra. é favorável às cotas nas universidades?

Eunice Durham - Sou inteiramente contrária às cotas de qualquer tipo, especialmente as raciais. Elas constituem uma medida extremamente prejudicial porque institucionalizam a raça. Isso é inconstitucional. É preciso realmente que a gente estabeleça políticas compensatórias.

Quais?

Esse processo todo vem da escola primária. Não há nenhum programa na formação de professores para combater o preconceito em sala de aula ou para alunos negros do colegial. Querem resolver o problema depois que ele está absolutamente instalado. E o nível de renda da população é um fator mais forte do que a etnia.

Mas a sra. também é contra as cotas sociais...

Sou a favor que se conserte o problema em vez de começar a fazer caridade. As universidades, especialmente as públicas, deviam fazer para os jovens pobres, cuja maioria é mulata, cursos pré-universitários. Os alunos de boa renda desde criança têm acompanhamento fora da escola. Quem não tem dinheiro não pode fazer isso. Então a universidade tem que abrir um curso pré-vestibular no qual se compensem deficiências de formação de modo que tenham melhores condições de competir no vestibular.

Não se pode compensar um péssimo ensino público colocando cota em vez de fazer um esforço para que o problema seja compensado, como os alunos de melhor renda fazem. Isso seria importante para a universidade e envolveria melhor distribuição étnica.

Posted via email from franciscoripo

terça-feira, 24 de abril de 2012

Educação em Revista - Education, environmental and culture: alchemical of knowledge in the control society

RESUMO
Por meio da noção de regime pedagógico, investiga-se a articulação entre epistemologia e política em dois eixos de funcionamento: um em torno da disciplina corporal ligado às exigências do processo de industrialização, outro em torno da autonomia do sujeito ligado à formação dos Estados nacionais. Os historiadores da educação situaram no coração das práticas escolares a inscrição pedagógica do cidadão como sujeito político dotado de direitos e obrigações; essa inscrição respondeu às exigências inerentes ao quadro conceitual próprio das sociedades democráticas. A noção de alquimia, proposta por Popkewitz, foi retomada para compreender como as práticas pedagógicas traduzem saberes disciplinares em conteúdos psicológicos que são inseparáveis de contextos políticos mais amplos; esse aspecto confere à pedagogia uma dimensão estratégica que deve ser levada em conta na análise dos investimentos pedagógicos no presente. Considerando as características que atravessam as práticas sociais de nossos dias, a intervenção de tipo ambiental (Foucault) e a lógica do controle (Deleuze), são abordados Educação, Meio Ambiente e Cultura como domínios de objetos sobre os quais atua o investimento pedagógico hoje.
Palavras-chave: Educação; Meio Ambiente; Cultura.

Educação em Revista - Education, environmental and culture: alchemical of knowledge in the control society:

'via Blog this'

segunda-feira, 23 de abril de 2012

Revista Brasileira de Ciência Política - RBCP

REVISTA BRASILEIRA DE CIÊNCIA POLÍTICA
Dossiê “Dominação e contra-poder”
nº 5 - Brasília, janeiro/julho de 2011
Governamentalidade e democracia liberal: novas abordagens em Teoria Política
Nildo Avelino
Resumo
No curso inédito Du gouvernement des vivants (1980), Foucault introduziu o tema da anarqueologia que aborda o governo dos homens pela verdade. Este artigo procura situar a anarqueologia na contribuição mais importante de Foucault para o debate com a Teoria Política: os estudos em governamentalidade. Ao conferir maior grau de complexidade às investigações de Foucault acerca do poder, a anarqueologia possibilita repensar a força causal dos discursos na prática política e estabelecer interlocuções no debate sobre as democracias liberais e a constituição do Sujeito democrático no interior do seu campo reflexivo.
Palavras-chave: teoria política; democracia liberal; subjetividade; governamentalidade; anarqueologia.

Revista Brasileira de Ciência Política - RBCP:

'via Blog this'

sábado, 21 de abril de 2012

"Da sociologia à linguística... uma leitura anarquista", com Rodrigo Gagliano

                                     (se a imagem não abrir, clique aqui)
Cartaz26

Posted via email from franciscoripo

quinta-feira, 19 de abril de 2012

terça-feira, 17 de abril de 2012

centro de cultura social

29/04/12, domingo18h

Biblioteca Terra Livre e Centro de Cultura Social convidam:
"A Última Estação" de Michael Hoffman (Reino Unido, Rússia, Alemanha , 2009)
Exibição do filme que se passa na fase madura de Tóstoi, já ícone de um movimento que ele mesmo criou e que quase se sobrepõe a ele. Nos desentendimentos entre Sofya, sua esposa que rejeita a substituição do nobre novelista pelo visionário, e Bulgakov, seu récem admitido jovem secretário que vê nele um santo laico, desdobrasse uma teia de contradições que marcaram os ultimos anos desse pensador.

centro de cultura social:

'via Blog this'

PÓS-GRADUAÇÃO

Falta de prestação de contas leva diretor do Capes a deixar cargo

DE BRASÍLIA - Um dos diretores da Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior) deixou o órgão, na semana passada, após a revelação de que ele estava inadimplente com a própria instituição.

Há seis anos, Emídio Cantídio de Oliveira Filho, diretor de programas e bolsas da Capes, devia esclarecimentos sobre as atividades realizadas com apoio financeiro do órgão.

Ele havia firmado, em 2006, três convênios para investimento em pesquisas acadêmicas e precisava prestar contas sobre como havia empenhado a verba. Somados, os projetos custaram R$ 66 mil, como revelou o jornal "O Estado de S.Paulo".

No período em que solicitou o financiamento, Filho estava vinculado à Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) e ainda não era funcionário da Capes.

A assessoria de imprensa da Capes, vinculada ao Ministério da Educação e responsável por cursos de pós-graduação no país, informou que Oliveira Filho já apresentou "os documentos relativos à prestação de contas" de um deles, no início do mês. O de menor valor: R$ 15 mil.

Agora, o ex-diretor terá cerca de 30 dias para apresentar a documentação dos dois convênios restantes, que receberam recursos de R$ 49,2 mil.

A exoneração ainda não foi publicada no "Diário Oficial da União", mas a expectativa é de que sua saída e a nomeação do substituto sejam oficializadas ainda nesta semana.

Posted via email from franciscoripo

segunda-feira, 16 de abril de 2012

Sala de Aula: Que Espaço é Esse ? (Resenha)

http://osinimigosdorei3.blogspot.com.br/2012/04/sala-de-aula-que-espaco-e-esse-resenha.html#comment-form 

domingo, 15 de abril de 2012

Sala de Aula: Que Espaço é Esse ? (Resenha)

_____________________________


Carlos Baqueiro

Está claro para mim que a sala de aula é, realmente, um pequeno local da sociedade. Mas é ali aonde podem se iniciar grandes processos de mudança. Sinto que seja isto que estejam pretendendo nos dizer os autores dos textos do livro “Sala de Aula: Que Espaço é Esse ?”[1].

Mas vejo nessa visão algumas questões práticas e teóricas, ao mesmo tempo.

Até, talvez, meados da década de 80 os projetos de mudança social perpassavam pelas grandes instituições: teríamos que mudar os Partidos, as Igrejas, os Modos de Produção, o Estado, etc, se quiséssemos ter uma verdadeira transformação social. Alguns poucos, somente, iam de encontro a estas perspectivas.

Na área social estas perspectivas vêm mudando desde lá. Sociólogos, filósofos, historiadores, vêm mudando seus paradigmas, desconstruindo visões de mundo seculares, tentando entender o mundo de uma forma menos ambiciosa do que todos os positivistas e filhos dos positivistas que conhecemos tão bem. Ver um mundo mais próximo ao que realmente é o ser-humano. Um ser relativo, ao tempo e ao espaço em que vive. Um ser em construção e não um filho de Demiurgo, pronto e absoluto.

Michel Foucault, Paul Feyerabend, Wilhelm Reich, Pierre Clastres, e tantos outros, participaram desta busca. E hoje, conhecendo-os somos impelidos a entender o mundo como eles.

Mas um paradoxo ainda está vivendo em nosso redor. Enquanto tantas áreas do conhecimento humano se reciclam, a área de educação não consegue retirar os velhos obstáculos a sua frente. Há até uma piada se referindo a homens que fariam uma viagem do passado para o futuro, e o único profissional que não teria problemas de adaptação seria o professor.

É claro que houve aqueles que tentaram as mudanças. Ivan Illich[2], acreditando em um mundo sem escolas; Paulo Freire[3], desejando uma escola que não fosse legitimadora do poder constituído; A.S.Neill[4], construindo a Escola de Summerhill na Inglaterra, e acreditando que melhor seria educar um futuro carpinteiro feliz, do que um engenheiro neurótico.

Mas a maioria dos educadores, inclusive mestres e doutores, parecem se prender a amarras, a correntes, como escravos que não desejam fugir do engenho.

O livro “Sala de Aula...” tem um sabor de reaver grande parte da discussão que envolve academicismo versus simplicidade, com o intuito de rebuscar os problemas e questões observados acima. Através de uma “tribuna livre”, nos próprios termos da apresentação de Regis de Morais, se discute as transformações possíveis dentro daquele pequeno espaço público, onde se encontram diariamente professores e alunos.

Debate-se ali sobre os possíveis rituais dentro da sala de aula. O que eles têm de benéfico e maléfico para a aprendizagem. O que eles podem produzir ao serem compartilhados por alunos e professores. Mas o debate não se dá de forma intransigente. O próprio Regis de Morais nos conduz a acreditar que não podemos traduzir a vida em “isto ou aquilo”, mas “isto e aquilo”[5]. Não podemos sufocar a criatividade dentro da sala de aula, mesmo a pretexto do amor, da felicidade, ou da compaixão, e muito menos da competição, ou de uma verdade construída artificialmente, como o são todas as verdades[6].

Não podemos reduzir um espaço humano a um espaço simplificado tornando-o insustentável[7]. Não devemos nos esquecer, como observa um dos autores, que todas as vicissitudes humanas tem que ter lugar dentro da sala de aula. E, é ali, onde devem ser privilegiadas a autonomia e autodisciplina.

E assim, se também compreendemos que a sala de aula é um dos palcos privilegiados das intenções das classes dominantes quanto ao mascaramento das relações de exploração e dominação[8], podemos elaborar uma prática que além de desmascarar, se interponha contra aquelas relações. Ação esta que além de pedagógica se torna também política. E nesta ação se irá lançar toda teorização alternativa para a prática, e sabemos que isto é possível porque as relações em qualquer meio social não são homogêneas, e portanto a ideologia hegemônica sofre antagonismos, e é através destes, que as brechas da inovação podem ser abertas.

A mudança, a inovação, as alternativas, desejadas e praticadas por poucos, há séculos, são possíveis. As mentes deste final/início de século, como vemos em diversas publicações atuais, parecem estar mais abertas às transformações. E, crendo nelas, podemos lutar, afastando as soluções grandiosas e generalizadoras que não se estão em condições de orientar no sentido libertário, preferindo as soluções viáveis, que o local em que vivemos e atuamos exige.

E mesmo que todas as batalhas não sejam vencidas, nunca é demais relembrar Oscar Wilde: “Um mapa do mundo que não inclua a Utopia não merece nem ser olhado, pois deixa de fora o país no qual a Humanidade está sempre a desembarcar”[9].

--------------------------------------------------------------------------------

[1] MORAIS, Regis de (Org.). Sala de Aula: Que Espaço é Esse ?. Papirus. São Paulo. 2001.
[2] ILLICH, Ivan. Um Mundo Sin Escuelas. Editorial Nueva Imagen. Mexico. 1979.
[3] GADOTTI, Moacir. Convite a Leitura de Paulo Freire. Scipione. São Paulo. 1991.
[4] NEILL, A.S. Liberdade sem Medo. IBRASA. São Paulo. 1990.
[5] MORAIS, Pg 28.
[6] NIETZSCHE, Friedrich Wilhelm. Nietzsche - Coleção Os Pensadores - Volume 1. Nova
Cultural. SP. 1987.
[7] NOVASKI, Augusto J.C. In MORAIS. Pg 11.
[8] SANFELICE, José Luis. In MORAIS. Pg 90.
[9] WILDE, Oscar. A Alma do Homem sob o Socialismo. Iniciativas Editoriais. Portugal.1975. Pg  35.

eu me revolto,logo existo 
          visite-nos:            

Posted via email from franciscoripo

Estudantes da USP debaterão drogas em 'semana do baseado'

Evento discutirá legalização e terá noite de fumo coletivo com orégano, "para efeitos jurídicos"

DE SÃO PAULO

Alunos da USP (Universidade de São Paulo) promovem, de hoje a sexta-feira, a "Semana de Barba, Bigode e Baseado". A organização é de alunos da FFLCH (Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas).

O objetivo é discutir a proibição do uso de drogas ilícitas com debates, palestras e exibição de vídeos.

"Porque droga não é demônio. Porque o que está em pauta é a autonomia sobre o próprio corpo e a liberdade de escolha", diz trecho da descrição do convite do evento, feito via Facebook.

Amanhã ocorrerá uma noite do fumo coletivo, que, "para efeitos jurídicos", será feita com "apenas orégano, substância lícita", segundo o texto do convite.

Alguns professores da USP participarão da semana como palestrantes.

Uma festa de arrecadação de fundos para a Marcha da Maconha -movimento que defende a legalização da droga no Brasil-, na sexta-feira, encerra a semana.

As atividades (incluindo a festa) acontecerão, sempre à noite, no espaço verde, uma sala da FFLCH.

Procurada pela reportagem, a assessoria de imprensa da USP afirmou que a reitoria não vai se manifestar sobre o assunto.

ASSUNTO POLÊMICO

O tema é polêmico na universidade. Em novembro, alunos invadiram a reitoria após um confronto entre estudantes e policiais militares.

A briga ocorreu após a PM deter três alunos com maconha dentro de um carro, no campus.

Eles foram levados à delegacia e liberados em seguida. Os estudantes, no entanto, passaram a protestar pela saída da PM do campus.

Logo após os eventos, alunos da universidade fundaram o Fuma (Frente Uspiana de Mobilização Antiproibicionista), movimento que participa da organização da "semana do baseado".

Posted via email from franciscoripo

domingo, 15 de abril de 2012

Festival em SP exibe filmes com temática sexual

Divulgação
Cena de "Salomé", curta que será exibido neste domingo na Mostra do Filme Livre
Cena de "Salomé", curta que será exibido neste domingo na 11ª Mostra do Filme Livre, no CCBB, dentro da sessão Sexuada

A 11ª edição da Mostra do Filme Livre, que exibe produções nacionais de cinema alternativo no CCBB (centro de São Paulo) até 22 de abril, irá exibir, neste domingo (15), uma programação voltada basicamente a curtas, como a sessão Sexuada, que ocorre às 15h e conta com filmes sexuais.

Siga o Guia no Twitter
Curta a página do Guia no Facebook

Na próxima quarta (18), a mostra promove o debate "Cinema de Bordas ou Trash Mesmo?", sobre o cinema trash, que terá seis sessões de curtas e longas.

A sessão do documentário "Sangue Marginal - Relatos de Cinema e Vídeo Underground", de Marco Antonio Vaz de Oliveira Filho, que acontece também na quarta (18), às 19h, será seguida de debate com Felipe M. Laura Cánepa e Gelson Santana com mediação de Christian Caselli.

Confira a programação completa no site do festival. A entrada é gratuita, mas o ingresso precisa ser retirado no local com uma hora de antecedência.

Acesse o site Catraca Livre para saber informações sobre eventos gratuitos ou populares.

CCBB - r. Álvares Penteado, 112, centro, São Paulo, SP. Tel.: 0/xx/11/3113-3651 ou 0/xx/11/3113-3652. Grátis.

Posted via email from franciscoripo

terça-feira, 3 de abril de 2012

centro de cultura social

centro de cultura social: "04/04/12, quarta-feira 20h
 
Abertura do Liga Juvenil Anti-Sexo, atividade do Coletivo Cultive Resistência."

'via Blog this'

Google Art Project

Art Project libera visita virtual à Pinacoteca e ao MAM


Google Art Project:

'via Blog this'

segunda-feira, 2 de abril de 2012

Veja como participar de nossos concursos e eventos « Casa de Criadores

Concurso Homofobia Fora de Moda 2012


Veja como participar de nossos concursos e eventos « Casa de Criadores:

'via Blog this'

Centro de Cultura Social

04/04/12, quarta-feira 20h 
Abertura do Liga Juvenil Anti-Sexo
evento do Coletivo Cultive Resistência.
Confira as demais atividades em 
http://ligajuvenilantisexo.wordpress.com

Local: Centro de Cultura Social
rua General Jardim, 253 sala 22
próximo ao mêtro República

Posted via email from franciscoripo

Liga Juvenil Anti-Sexo

04/04/12, quarta-feira 20h 
Abertura do Liga Juvenil Anti-Sexo,
evento do Coletivo Cultive Resistência.
Confira as demais atividades em 
http://ligajuvenilantisexo.wordpress.com
Local: Centro de Cultura Social
rua General Jardim, 253 sala 22
próximo ao mêtro República

Liga Juvenil Anti-Sexo:

'via Blog this'

AMIGOS...